Mana

Uma das coisas que gosto de ler nas versões antigas do blog é o que escrevia antes da minha irmã nascer. O modo como as coisas estavam a correr, as idas da minha mãe às consultas e os meus planos para cada etapa da vida da bebé. Esperava ensiná-la a falar, a saber de cor os nomes dos planetas, a fazer baloiços com tábuas como eu fazia no Alentejo, a trepar a "Grande-Pedra" perto da casa da minha avó.

Passei a véspera do nascimento a tentar desviar o nervosismo, escrevinhando naquele que foi o primeiro dos 3 blocos de notas que mantenho desde então. Entretanto, chegou a minha nova irmãzinha. Cor-de-rosa, muito pequenina e com mãos enrugadinhas.

Esqueci todos os planos quando reparei que eles não estavam de acordo com as etapas normais de crescimento de um bebé. Não me pareceu que ela fosse ter uma conversa séria comigo aos 6 meses. O desapontamento nunca chegou a formar-se porque, entretanto, coisas espantosas aconteciam: ela ria-se às gargalhadas, ela falava com a sua imagem no espelho, ela cuspia a sopa de cenoura para ver as nossas reacções. Espontânea. Imprevisível. Eu divertia-me a vê-la a dormir e a organizar os mapas dos legumes que ela já tinha provado na sopa e a sua reacção a estes.

Hoje em dia, a Mariana come de tudo, raramente faz birra às refeições mas frequentemente entorna comida de propósito e espalha-a pelo seu lugarzinho. É uma menina muito eléctrica, sobretudo quando está perto do irmão. Não gosta de estar muito tempo quieta e sentada a brincar, mas fica praticamente hipnotizada a ver filmes ou videoclips no youtube comigo.

A Mariana é a minha desculpa para ver o Enchanted todos os dias e para poder cantarolar as músicas da Bela Adormecida sem me chamarem de louca. É também a minha parceira de Singstar que não se importa de cantar a parte do Aladdin enquanto eu desafino na parte da Jasmine.

 


 

 


 Como o texto ficou enorme deixei metade "escondida".

Amanhã respondo aos vossos comentários do outro post. Desculpem o atraso.

Babs às 00:11
sinto-me: exame amanhã